Por Gabriela Freire Petry via nexperts

06/10/2019 às 09:00

Artigo Original

Você já parou para pensar em quantos cadastros fez na internet até hoje? São logins e senhas para redes sociais, plataformas de streaming, emails, e-commerces e outros. Com tantas notícias de sites vazando informações por falhas de segurança, como podemos ter certeza de que nossos dados estão realmente seguros? Graças ao novo recurso do Chrome, que alerta toda vez que as informações estão em risco, você pode ficar um pouco mais tranquilo.

Como essa nova função do navegador consegue identificar que os dados não estão seguros? Com base nos arquivos vazados do site, o Chrome verifica se ele sofreu algum tipo de ataque; se o resultado for positivo, dá o aviso ao usuário sobre os riscos.

Até o momento, o recurso só está disponível para a versão Canary do Google Chrome, o navegador em que a empresa testa todas as novas funções.

Como fazer o Chrome avisar se os dados estão em risco?

Apesar de já estar disponível para o Canary, a função não é ativada automaticamente, então é preciso manualmente alterar o parâmetro do navegador.

1. O primeiro passo é instalar o Chrome Canary no seu computador; caso já tenha o navegador, atualize-o;

Faça o download do Chrome Canary. (Fonte: Google Chrome/Reprodução)

2. Se fez o download, siga as etapas de instalação; se atualizou o navegador, vá para o próximo passo;
3. Abra o navegador normalmente e digite na barra de busca: chrome://flags e pressione a tecla Enter;

Digite “chrome://flags” na barra de pesquisa. (Fonte: Canary/Reprodução)

4. No campo “Search Flags”, digite Leak e espere as opções aparecerem;

Digite “Leak” para encontrar o recurso. (Fonte: Canary/Reprodução)

5. O Chrome Canary exibirá a opção “Password Leak Detection”; na caixa ao lado, altere o valor de “Default” para “Enabled“;

Mude o valor para “Enabled”. (Fonte: Canary/Reprodução)

6. A mensagem “Relaunch” aparecerá no canto direito; basta clicar nela e o novo recurso do navegador será ativado.

Clique em “Relaunch” para ativar o recurso. (Fonte: Canary/Reprodução)

Vale ressaltar que, aparentemente, a ativação da função não é notada. Contudo, ao tentar realizar o login em um site que não é considerado seguro, o Chrome notifica sobre os riscos e sugere medidas preventivas, como a troca de senha.

Fontes

Olhar Digital/Alvaro Scola

lixo eletrônico é um dos grandes desafios da sociedade atual: graças à obsolescência programa e nossa natureza consumista, há muitos dispositivos eletrônicos no lixo causando grandes danos ao meio ambiente. Aqui, você vai aprender o quão ruim ele é para o planeta, além de descobrir como descartar seus gadgets velhos corretamente.

E-waste / Smartphones / o que é lixo eletrônico

O que é lixo eletrônico?

O lixo eletrônico ou Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE) são todos os dispositivos eletroeletrônicos, de celulares, tablets e computadores a TVs, lavadoras de louça e de roupa, geladeiras e etc., que foram descartados por seus donos.

Há uma preocupação com certos dispositivos descartados de forma irregular (jogados no lixo comum, por exemplo), como celulares, tablets, computadores e outros com baterias, pois estas contêm elementos altamente danosos ao meio ambiente, que não podem ser jogados em qualquer lugar. Além disso, esses aparelhos contém materiais valiosos e metais raros, úteis para fabricar outros eletrônicos com material reciclado.

O lixo eletrônico e o meio ambiente

Com a popularização da telefonia móvel e da computação pessoal, a geração de lixo eletrônico aumentou muito, tanto porque muitas vezes comprar um aparelho novo é mais simples do que consertar, como também pelo estímulo da obsolescência programada, praticada pelos fabricantes para estimular o consumidor a sempre trocar seus aparelhos por novos, geralmente uma vez por ano (ou em intervalo menor).

Alguns elementos contidos no lixo eletrônico, embora sejam biodegradáveis, podem permanecer no solo por séculos, contaminando tudo enquanto isso. Já materiais nobres como ouro, prata, cobre e platina, além de metais raros são difíceis de se conseguir na natureza. É preferível sempre que o usuário descarte os aparelhos corretamente.

Jogar celular no lixo comum é crime ambiental?

E-Waste / lixo eletrônico

Sim.

De acordo com o Artigo 33 da Lei N° 12.305/2010 (Política Nacional dos Resíduos Sólidos, ou PNRS), o fabricante é obrigado a fazer a logística reversa dos eletroeletrônicos que comercializa. Ou seja, é responsabilidade do dono procurar o fabricante, que é obrigado a recolher e descartar de forma ecologicamente correta.

Para atuar em conformidade com a Legislação, as empresas devem implementar sistemas de logística reversa para recolher e reciclar eletrônicos ou descarta-los corretamente. Da mesma forma, a PNRS prevê sanções tanto à companhia que falhar em cumprir a Lei, quanto ao consumidor que fizer o descarte de maneira inapropriada.

Resumindo:

O cidadão que jogar seu celular no lixo de qualquer jeito poderá ser multado.

Como descartar lixo eletrônico corretamente

Você pode:

Se o dispositivo estiver com defeito e não puder ser consertado, o usuário pode optar pela logística reversa ou em casos extremos (quando o dispositivo é antigo e não há empresa para contatar ou se o fabricante não estiver em conformidade com a Lei), pode-se recorrer a cooperativas para que o produto seja descartado corretamente.

Como encontrar a cooperativa mais próxima

site do eCycle / motor de busca de cooperativas / lixo eletrônico

Existem sites, como eCycle (ecycle.com.br) que funcionam como motores de busca especializados; através dele é possível especificar que tipo de produto você deseja descartar e onde você mora, para a plataforma devolver resultados de cooperativas próximas de você.

Vale lembrar, entretanto: sempre entre em contato com as cooperativas antes de levar os produtos, para se inteirar dos horários de funcionamento e demais procedimentos, já que nem sempre uma funciona igual a outra ou recebe todos os tipos de sucatas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *